De Todas as Noites e Outras Paisagens Poéticas

Poesia & Fotografia

Fausto Marsol © autor e editor, 2019

Edição limitada a 100 exemplares, numerados e assinados pelo autor

Preço de capa 25 € (portes para Portugal incluídos)

Disponível apenas por encomenda directa, através deste site.

Nota do autor

Nunca me considerei poeta

– se alguma vez me considerei o que quer que fosse para além de ser eu próprio em cada momento no desempenho de um dado papel.

Diga-se, o mais genuíno que conseguisse: entre ser e parecer ou ser e assim ser visto há sempre um espaço,

mesmo que apenas da largura de uma frincha apertada – coisa rara, já que mais é, em demasia, uma falha larga

na qual o eu mais puro se perde na expressão de um outro-ideal. Por pressões, ouço às vezes,

como se cada um(a) fosse menos senhor(a) de si do que verdadeiramente é.


Poesia: da que gosto mesmo mais é daquela que se traduz em movimentos

visíveis no quotidiano melhor do que em palavras – escritas, lidas, declamadas ou ouvidas. Da que fica na memória das vivências.

Os melhores poemas – ou o poema contínuo, se tal fosse possível – são feitos de vida,

de pedaços de vida coloridos de emoções e sentimentos, expressos em gestos

– alguns, depois, vertidos em frases, pinceladas, golpes de cinzel ou disparos de máquinas.

Sim, porque as emoções e os sentimentos são como tintas com que se pinta a tela da vida

– com mais ou menos realismo, com mais ou menos fantasia, em tons mais fortes ou esbatidos, alegres ou sombrios.


Incapaz de apropriar-me indevidamente do que quer que seja de material,

não resisto, porém, ao apelo de uma (para mim boa) imagem,

que possa fixar digitalmente, tomando-a, a partir daí, como minha.

Há um poema de Rafael Alberti que diz que “há touros azuis na Primavera do mar”: porque não?

Não me considerando também fotógrafo – e menos ainda um purista da fotografia -, quiçá influenciado pela escrita,

deleito-me a recriar imagens a partir de uma dada paisagem-estímulo:

a fidelidade à realidade não integra as minhas preocupações fotográficas.


Gosto, isso sim, de emparelhar palavras com imagens.

Fotografia e poesia, momentos-ponto de partida, em que uma evoca a outra, sem que a uma ordem definida tenham de obedecer.

Uma e outra e outra e uma são paisagens-imagens que se repercutem na minha mente

na forma de ínfimas partículas químicas libertas,

que geram descargas eléctricas percorrendo axónios e dendritos, de sinapse em sinapse em intricados caminhos

– raramente antes totalmente percorridos. Que importa assim o que gerou o que?


A mim o que me importa – em verdade - é o testemunho de ter estado ali, sentindo:

oxalá tenha tido o engenho de traduzir em paisagens poéticas – interpretáveis – as correntes coloridas

que me percorreram o cérebro abanando-me o corpo.


Comentários

A. Borges,

técnico superior da adm. local.

“Deliciei-me! Os poemas são uma verdadeira expressão dos sentimentos, o que, aliado às maravilhosas fotos, faz do livro uma obra prima!”

A. Carvalho,

pintora e poetisa

Perfeito. Já li livro e deliciei-me com as imagens e as palavras. Gostei de umas e de outras.

Belo grafismo também.

AP Neves,

professora

Poemas muito bonitos... quase que os sentimos no corpo onde a alma se aloja.

JC P. Santos,

jurista e ex-autarca

Fascinante o livro. Poemas e fotos maravilhosas. Parabéns.

L. Rebelo,

psicóloga aposentada

Fotografia, poesia e lua cheia num encontro Amoroso. Parabéns Fausto Marsol por este livro sensacional!

A. Nogueira,

aposentada da Função

Pública

Estava a ler e a saborear cada palavra, perdendo-me na beleza das imagens. É tudo tão profundo, tão sentido, tão… até me faz sonhar. Fiquei rendida a tanta beleza.

E. Sousa,

secretária administração

Um trabalho delicado e muito bem conseguido. Parabéns!

MJ Spratley,

terapeuta ocupacional

A sensibilidade das imagens e das palavras enchem os nossos olhos e tornam a obra profunda, coerente e bonita.